16 de dezembro de 2007

Apareça

Poema lindo do corno do Enzo Potel...

Apareça.

Por favor, apareça.

Antes que as migalhas
desta aberração
que vejo no espelho
torne-se mais um esboço
do passado.

Antes que eu nasça
como um vendedor de caldo de cana,
um mestre argentino de tai chi chuan,
um policial, um papagaio,
uma cantora,
um indiano que rouba água.

Antes que o tempo
te traga de novo
sem o aviso de que teu toque
abre caminhos de dor e insapiência.

Surja na simplicidade
de trinta minutos,

não daqui a três mil anos.

Traga as malas no carro
para ficar

para não me dar
perfume à perfídia
que é dizer

até a próxima

encarnação.

Um comentário:

Enzo Potel disse...

Que sonho você ter gostado de Apareça!!!!!

esse poema salvou minha vida

foi escrito no escuro, quase não recebeu alterações na hora de passar a limpo...

Em breve as pessoas vão descobrir que Cura (livro quadrado, preto, com fotos) é o "Um dia daqueles" as avessas, com uma visão pessimista e infeliz das coisas kkkkkkkk

se for sucesso, depois eu lanço o "Querida Cobra Coral"
ahahahahahah

agora sem brincadeiras, obrigado pelo valor dado ao poema aqui.
bjonzon!