17 de abril de 2008

A vida nova de Alzira

Parou de fumar, a Alzira. Comprou roupa de ginástica, e mudou de parâmetros alimentares. Enfileirou os livros novos que ela vai ler logo logo. Ajeitou os cabelos, e experimentou de novo o vestido velho que estava tomando um ar. Fez novas poses no espelho. Escolheu novas frases de impacto. Tinha um jeito bobo no olhar da Alzira. Será que estava apaixonada? - perguntavam os muros laterais do castelo. Era pura satisfação a vida nova dela. Vira na tevê uma heroína gritar "jamais sentirei fome novamente", e ficara com o "jamais" na cabeça. E quis conhecer outra vida. E escolheu começar tudo de novo. Estava pronta: vestido ousado, agora sem naftalina, cabelo penteado, sorriso de diva... Abriu a porta da rua e o tempo fechou. A chuva não tardaria.

10 comentários:

Sandra Knoll disse...

A metade de mim é Alzira, a outra metade, eu não sei!

Enzo Potel disse...

lindo sempre.

compêndio sobre alzira.

isso tem que dar livro.

sodade

Paula Braun disse...

Lindo meu querido.
A chuva nunca tarda mesmo.
Beijoca.

Massagem disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Massagem, I hope you enjoy. The address is http://massagem-brasil.blogspot.com. A hug.

zumbi hiperativo disse...

gente eu sou a alzira. mas eu ao invés de deixar de fumar, resolvi começar tardiamente.
a chuva não tarda, mas sempre é tempo de se encontrar um guarda chuva.

beijo

Alex Nascimento disse...

louco como Alzira é eu, é você, vejo ela carregada de sacolas de supermercado, (aqui onde vivo só vejo as sacolas do angeloni hahaha) com um vestido vermelho louca para dançar tango, com um porteiro no hall de um prédio bem grande, com uma rosa na boca dizendo, apenas com o olhar eu posso ser tudo...

ai como eu sou chato, escrever outro texto no comentário da postagem não vale
hahahah
beijo prof

Roberta disse...

Lindo texto, poético!
às vezes, tb me sinto como Alzira...
Vou passar por aqui todos os dias agora.
bjs
Beta!
www.ladybetita.arteblog.com.br

Rafael Koehler disse...

a vida nova sempre é necessária!

a chuva não tarda mesmo, mas precisamos regar a vida, não é?

e viva a vida nova de Alzira (principalmente o fato dela parar de fumar.. hehehehe).


beijos,

Bárbara disse...

eu adoro a Alzira.
ela é muito parecida comigo.
te gosto querido.
beijo grande.

Anônimo disse...

Alguém andou assistindo E o ventou levou... E eu conheço essa Alzira?