3 de novembro de 2007

Aos que vieram antes nós:


Por que temos tanta consciência do que nos afeta [e continuamos alimentando o cão]?
Por que sentimos tanta saudade?
Por que não se escolhe quem ama [assim, bem simples] ?
Por que não esculpimos o mundo apenas de objetos e certezas?

Ele olhava à volta e não queria mais entender nada. Foco no teto. Silêncio

- Há quanto tempo o senhor sente essas coisas?
- Não sei. Eu queria não sentir nada. Tem jeito, doutor?

4 comentários:

Fisionomia nota dez!!! disse...

porque sentimos tanta saudade???

acho q a gente até escolhe quem ama...quem a gente ama é que não escolhe a gente...hahaha [humor básico]...

mas há o amor...aquele que vence os obstáculos, as nóias, os materialismos, as inseguranças....e tudo o mais....ando aprendendo sobre isso.......e aparece quando menos se espera.

humpfff...

Priscila Lopes disse...

Gostei do "microconto".

Apareça no Cinco Espinhos, onde nos propomos a tecer críticas literárias em forma de literatura.

Toda semana, também, garimpamos a internet à procura de um BOM texto de um autor "desconhecido".

Apareça. Comente. Participe da enquete sobre Poesia Contemporânea:

http://cincoespinhos.blogspot.com

Obrigada!

RHK disse...

Gostei do seu blog tb, mister!
E não tente não sentir nada, xaso o texto abaixo seja baseado em fatos reais e autobiográficos, sanão vc seria um psicho, man!
Bom finde prá vc!

RHK disse...

*xaso = caso