25 de maio de 2008

Alzira versão 6.0

Alzira não reconhecia mais a própria sombra. Estava quase psicótica, ela, de se ver tão atualizada, de ver o melhor de si. Se espantava com suas novas frases. Seu organismo a estranhava, inclusive. As senhas expiraram. Urina e vômitos fora do fuso. O ar entrava por todos os poros e ela quase inflou pra sair voando. Achava que sua voz tinha mudado. Tudo estava novo na Alzira. Tudo era novo e melhor nela. Tudo era novo, melhor e retumbante. Acordava cantarolando e dançando pela cozinha. Começou a se ver mais jovem, mais atraente, mais inteligente. Era tudo tão melhor que ontem, antes de dormir, teve medo de ser tão umbilical assim feliz.

11 comentários:

gregory haertel disse...

que a alzira não tenha medo de ser tão umbilical assim feliz. a alzira merece.

amelita disse...

ai eu amo a alzira e a sua felicidade transbordante!!!

Paula Braun disse...

Linda a Alzira... daqui a pouco voa.
Beijo, saudades imensas.
(textim novo no meu, finalmente)

Paula Braun disse...

Linda a Alzira... daqui a pouco voa.
Beijo, saudades imensas.
(textim novo no meu, finalmente)

enzo potter disse...

alzira está se aproximando de uma plenitude, coisa boa demais da conta está por vir... e se perder?

Enzo Potel disse...

que diário é esse??!
ó, dia 6 to chegando!

bjones

mARINA mONTEIRO disse...

sou fã da alzira!!!!!

Thiago Florencio disse...

Fala seu chico linguiça,

valeu pelo comentário e por me inserir na vida de Alzira, vou acompanhá-la com vagar e intensidade.

abçs

o roedor de ventanias

Sandra Knoll disse...

hehehehe, Fecha Alziraaaa

TxIaGo tHiAgo disse...

Voltei para os blogs!!
eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!

Rafael Koehler disse...

Adoro a Alzira!