29 de dezembro de 2011

Os Melhores Filmes de 2011 - Última Parte

 
por Malcon Bauer,
aquele que é polêmico, polêmico... e polêmico!

 
Ele diz: "Olha só: Eu estou falando dos filmes LANÇADOS NO BRASIL em 2011!!!"



10 - Contágio (Contagion)

Um filme terror. É isso mesmo. É com medo e tensão que acompanhamos uma série de personagens (performances notáveis de Kate Winslet, Gwyneth Paltrow, Matt Damon, Marion Cotillard, Jude Law e Lawrence Fishburne) e a forma como lidam com o surgimento de uma epidemia incontrolável e mortal. Uma maçaneta torna-se objeto de repulsa e apertar as mãos é um ato de coragem. Steven Soderbergh conduz esta narrativa de maneira clínica e documental, com uma frieza que torna tudo ainda mais incômodo.  E o melhor: sem receio de matar qualquer personagem de seu elenco estelar.


9 - Bravura Indômita (True Grit)

Os irmãos Coen criam um faroeste  com sua marca de bizarrice e bom humor. Jeff Bridges arrasa como um federal bêbado e cínico que topa ajudar um jovem (a ótima Haille Steinfeld) a vingar a morte do pai. Belamente fotografado e muito divertido, o filme descontrói o mito do “herói do faroeste” sem deixar de homenageá-lo com carinho.


8 - X-Men : Primeira Classe (X-Men : First Class)

Sempre tive vontade de conhecer o início da amizade (e posterior inimizade) de Magneto e do Prof. Xavier. O filme nos apresenta os personagens ainda jovens e voluntariosos, e é ótimo acompanhar a descoberta de suas responsabilidades em meio aos anos 60. A direção de arte combina com perfeição o heroísmo e um aura meio cafona dos cenários e figurinos. O ótimo elenco também contribui para este que é o melhor filme de HQs do ano.



7 - Planeta dos Macacos – A Origem (Rise of the Planet of the Apes)

O anúncio do prequel da série símia me deixou com o pé atrás, mas mordi a língua. Tenso, bem conduzido e inteligente, o roteiro do filme acerta ao tornar o macaco César tão humano para nós que, ao final, é impossível não simpatizar com sua causa. Tudo graças ao magnífico trabalho de Andy Serkis. Cinemão da melhor qualidade.

6 - Amor à Toda Prova (Crazy Stupid Love)

A prova de que comédias românticas podem ser fantásticas se tiverem: a) Um ótimo roteiro, repleto de referências inteligentes e boas reviravoltas; b) Um elenco incrível, que conta com Julianne Moore, Steve Carell, Ryan Gosling e Emma Stone; c) Uma piada envolvendo Julianne Moore e a saga “Crepúsculo” (tá, isso engloba as letras a e b, mas eu queria falar disso aqui). Um filme delicioso, que não perde o humor no terço final (pra mim, o pecado mortal das comédias românticas).

5 - O Palhaço (idem)

A segunda incursão de Selton Mello como diretor é delicada e tocante.
Uma história sobre o “fazer rir” que consegue, além disso, fazer chorar e refletir. Um elenco de apoio fantástico que conta com Paulo José, Moacir Franco e Fabiana Carla coroa esta belíssima obra.

4 - A Pele que Habito (La Piel que Habito)

Almodóvar envereda pelo cinema de terror neste filme genialmente bizarro. Uma história doentia que conta com uma interpretação assustadora de Antonio Banderas no papel de um Frankenstein moderno. Almodóvar nos conduz de maneira brilhante por uma narrativa repleta de reviravoltas incríveis que nos deixam o queixo caído. E Marisa Paredes... é um bafo!



3 - Cisne Negro (Black Swan)

Natalie Portman reina como a bailarina que, em busca da perfeição, entra numa espiral de loucura e horror. O diretor Darren Aronofsky nos conduz com maestria pela deturpada cabeça da protagonista num filme tenso e impactante. Mila Kunis também brilha, bem como a excepcional Barbara Hershey. Terminei, literalmente, sem fôlego.


2 - Melancolia (Melancholia) 

Lars Von Trier entrega seu melhor filme desde Dogville. O fim do mundo está chegando, e o diretor aproveita para mostrar seu ponto de vista sobre a culpa, revolta e a aceitação de nossa própria mortalidade e pequenez. Trilha sonora fantástica (quem não viu no cinema perdeu!), imagens acachapantes e interpretações maravilhosas de Kirsten Dunst e Charlotte Gainsbourg. Por mim, Von Trier pode continuar dizendo as besteiras que quiser em suas coletivas.


1 - Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris)

O mais incrível filme de Woody Allen na última década  é uma deliciosa viagem no tempo e na imaginação. Um elenco espetacular e um roteiro de uma simplicidade genial são nossos guias pela Paris dos sonhos de um escritor em crise. Uma preciosidade que discorre de maneira certeira a insatisfação das pessoas com seu próprio tempo. Será que a melhor época foi sempre aquela que já passou? O Que Hemingway diria sobre isso?



MENÇÕES HONROSAS:

Tudo Pelo Poder (Ides of March)
Missão Impossível – Protocolo Fantasma (Mission: Impossible – Ghost Protocol)
A Árvore da Vida (The Tree of Life)
Quero Matar Meu Chefe (Horrible Bosses)
Reencontrando a Felicidade (Rabbit Hole)
Gigantes de Aço (Real Steel)
Scott Pilgrim Contra o Mundo (Scott Pilgrim Vs. The World)

18 comentários:

gilvas disse...

pourras, malcom, melancholia? tu já foste melhorzinho! e nem vou falar de árvore da vida... vou te perdoar por causa da citação a horrible bosses.

Vicente disse...

O Rê não viu Contágio?

turnes disse...

Olha, falou o cara que acha Drácula de Bram Stocker "tosco"... Malcon, acho que faltou aquele filme iraniano que ficou um dia e meio em cartaz no Paradigma: O Penico. E Vicente eu não vi Contágio, não me pergunte porque. Menção horrorosa pra Árvore da Vida, aí eu vejo vantagem.

Daniel Olivetto disse...

Esse "Àrvore da Vida" é mais pra quem gosta de filme com hisória né?? hahahahaha

Malcon Bauer disse...

Sabia que "Drácula" voltaria à baila...
E quanto a "O Penico", ele estreou no Brasil em 2010, chegou em Floripa em 2011, mas na verdade é de 1976. Por isso ficou de fora.

mauro camargo disse...

tá, então me digam... vcs não assistiram Medianeras ou eu to ficando louco?

mauro camargo disse...

e ao menos uma menção honrosa pro Meu Pais...

Malcon Bauer disse...

Ninguém viu, Mauro...
Ficará pra 2012...

turnes disse...

O malcon tem preconceito com filme argentino. pronto falei.

Malcon Bauer disse...

É um meia verdade. Me incomdoa o "endeusamento" de qualquer filme que venha de lá. Se fosse o selton mello no cartaz com uma vaca, todo mundo cairia de pau sem dar a menor chance...
"Aaaah, mas é argentino..."

turnes disse...

O filme da vaca no poster é Um Conto chinês...medianerias é outro, ai malcon...mas vc quer dizer tipo O Segredo dos Teus Olhos que foi o melhor filme de todos os tempos segundo a Associação Antiamericanófila da Travessa Ratcliff. Quando na verdade trata-se de um filme americano mediano, só que argentino. né?

turnes disse...

mas gente, todo mundo tá falando bem de Medianeiras e quero ver, tá?

Daniel Olivetto disse...

olha o bule nos argentinos!

Malcon Bauer disse...

Eu tbém quero ver Medianeiras. E eu sei que o filme é Um Conto Chinês.
Não me desafies, Rosário... quer dizer, Turnes.

E Daniel... vai ver um filme! (Pá!)

mauro camargo disse...

que eu saiba tava passando no paradigma... nao sei se ainda está... tá, tudo bem, vamos dizer que nem parece argentino, pra acalmar o malcon...

Malcon Bauer disse...

Eu não tenho problema com filmes argentinos. Adoro vários. Me incomoda a suposição de que qualquer filme é bom apenas pelo fato de ser argentino...

Por que você faz poema? disse...

Lista coerente, mas "A Árvore da Vida" merecia mais do que uma simples menção honrosa, e "Cópia Fiel"? e "O Garoto da Bicicleta"?

Malcon Bauer disse...

"A àrvore..." continua polemizando... eheh.
Não vi "Cópia Fiel" e "Garoto da Bicicleta" ainda. Verei em breve.