1 de setembro de 2008

Vamos passear na avenida

"vamos passear na avenida

atravessar o deserto dessa multidão
que passa entre as vias expressas
na pressa do tempo perdido

vamos passear na avenida

me dê sua mão e seu braço quebrado
vamos passear abraçados
atravessar as faixas
os olhares em trânsito
atravessar o tráfego das máquinas bufantes

vamos passear na avenida
entre os corpos ausentes
enquanto procuro tua imagem
no fundo do corredor

vamos passear na avenida
atravessar a fantasmagoria dos passos apressados
vamos atravessar os corpos que não mais condizem
uns com os outros

vamos atravessar a avenida
só pra ver a ressureição dos corpos
na densa floresta do centro da cidade

vamos passear
eu te trarei o pólen que os insetos preparam
como mensageiros de outras espécies

vamos passear na avenida"

Thiago Florêncio,
http://oroedordeventanias.blogspot.com/
[uma das coisas mais lindas que eu encontrei pela net...]

3 comentários:

Cibele Cambuci disse...

não gostei desse poema em si, mas adorei tudo o que você escreve!
(vou passar sempre aqui, mas não espere sempre comentários hihi)

:*

Henry disse...

pra mim isso é parecido com aquela música que o Gesinger canta com a filha dele, sabe? 'vamos passear depois do tiroteio, vamos dançar num cemitério de automóveis ..'

mas de qualquer forma é bonitinho professor linguiça!

Thiago Florencio disse...

Caro Daniel, é demasiado gratificante ter o seu retorno. Imensamente feliz. Tomei a liberdade de te adicionar lá no roedor de ventanias. Se quiser, pode assistir ao vídeo que fiz em cima desse poema no seguinte endereço: http://br.youtube.com/watch?v=1s18mT4ewNg

Um abraço

O roedor de ventanias