25 de agosto de 2007

Pro dia nascer feliz...



Algumas noites acabam em pizza às 21h,
outras em anti-histamínico e chá de cidreira às 22h.
Algumas noites acabam às 24h na mesa do bar
["me dá uma carona?"]

Alguns dias terminam às 20h com dores nas ancas,
nos tendões,
dores nos ombros,
dores no plexo...
[e outras dores mais elegantes]

Algumas noites terminam sem querer
["pois é... já deu por hoje"]

Algumas terminam em gargalhadas e peixes abissais de celular,
outras começam às 23h com 'Belle and Sebastian' na vitrola velha
Algumas noites começam à 1h com as almofadas
[todas] sobre a cama
... pro king size parecer um bercinho...
Algumas noites tem barulhos indesejáveis
caminhão de lixo
batida policial
cachorros que vêem espíritos [latindo pras paredes]

Algumas noites começam às 5h com cheiro de cigarro na varanda
com poesia barata e com uma dor de cabeça infernal!
Algumas noites terminam com paracetamol e chá de boldo
Algumas noites começam com gastrite, neuroses a arrepios nada sublimes
["tem dias que de noite é foda"]

Algumas começam às 6h com as almofadas no chão
[tem noite que de dia é foda]

Algumas noites não deviam existir...
Alguns dias deviam ser feitos só de claridade
de caminhos certeiros
de retilíneas
de reticências

Alguns dias deviam começar e não terminar
[só pra não escurecer o meu quarto]

2 comentários:

Ryana Gabech disse...

Algumas noites acabam com os restos de dias que sobram em hora..ai..que poetico o tema..dá para escrever um livro de tantos fins de noite.

Vicente disse...

alguns dias deveriam ter noção do perigo.